Ônibus de Campinas testa Gás Natural

  • 25 de setembro de 2011
  • 0
  • 29 Views
Compartilhe:

Campinas foi escolhida para ser a cidade piloto para os primeiros testes de conversão do motor diesel de ônibus urbanos para o sistema de Gás Natural Veicular (GNV).

Circulando pela cidade em anonimato já há 16 meses, o ônibus-teste, único em circulação no Brasil, é o centro das atenções de uma equipe de 12 pessoas que tem como objetivo verificar a viabilidade econômica e ambiental dos veículos pesados de transporte público movidos 100% a gás natural.
O projeto piloto da Comgás, em parceria com a Itajaí Transportes e a Osasgás, já testou a performance, a durabilidade e a economia do veículo convertido. Agora a equipe trabalha para adicionar mais um cilindro de combustível com o objetivo de aumentar a autonomia do ônibus-teste. Atualmente são necessários dois abastecimentos diários. O ideal é que um ônibus de linha urbana consiga percorrer o circuito de um dia sem precisar parar para reabastecer.
Mesmo com uma parada a mais do que os veículos convencionais movidos a diesel, o ônibus-teste demonstrou ser mais econômico, considerando a vantagem no preço do metro cúbico do gás natural (menos de R$ 1,00 /m³), na comparação ao preço do litro de diesel (em média R$ R$ 1,75 /l). “Além da vantagem econômica, o ônibus-teste apresentou uma boa redução no nível de ruído e melhorias na sua dirigibilidade. No próximo mês substituiremos o sistema eletrônico do veículo para melhorar ainda mais o seu desempenho, que já é de 1,55km/m³”, explica Richard Jardin, gerente de Vendas Veicular da Comgás e coordenador do projeto.
Para Jardin, os resultados obtidos até agora superaram todas as expectativas da equipe. “Entendemos que a conversão para o gás natural veicular por si só já traz grandes benefícios ambientais e para a saúde pública”, diz.

Tecnologia utilizada

A rota de tecnologia utilizada é o motor ottolizado. Ou seja, inicialmente funcionando com o ciclo diesel, o motor foi transformado para o ciclo otto (à gasolina), ficando apto para o recebimento do gás natural.
Em países como Espanha, França, Austrália e Estados Unidos, rotas tecnológicas como o motor dedicado (que já sai de fábrica podendo rodar com gás natural), ou com o diesel-gás, estão iniciando os testes no Brasil, mas ainda pouco sabemos sobre a economia, performance e emissões.
A grande vantagem do projeto é tornar possível a instalação do sistema de GNV nos ônibus que já estão em circulação. Isso barateia o custo, permite que o veículo seja reconvertido para diesel no final da sua vida útil e tem grandes benefícios ambientais, pois não demanda a produção de novos motores para a utilização de um combustível mais ecológico.

Imagem: Divulgação