Dia das Mães deve alavancar o comércio em 9%

  • 9 de maio de 2012
  • 0
  • 28 Views
Compartilhe:
O segundo domingo de maio tornou-se, tradicionalmente, o dia daquela que é a mais reverenciada das mulheres: a mãe. Do ponto de vista econômico, o Dia das Mães é considerado a segunda maior data do comércio varejista, perdendo apenas para o Natal, que representa o maior volume de vendas do ano, com uma participação de mais de 20% de todo o período.

Segundo a ACIC (Associação Comercial e Industrial de Campinas), no ano passado, o Dia das Mães movimentou cerca de R$ 331,0 milhões em Campinas e R$ 490,0 milhões na RMC (Região Metropolitana de Campinas). Esses valores foram movimentados nas compras de presentes e lembranças, sendo que, para este ano, a perspectiva dos comerciantes é de que esses valores cresçam 9%, com um faturamento de R$ 361,0 milhões em Campinas, e R$ 535,0 milhões na RMC.

Em termos percentuais, essa taxa de 9,0% é menor que a taxa do ano passado, que ficou em 9,5%, mais por força da desaceleração da economia, a partir do 2º semestre de 2011, com o impacto do aumento da inflação, juros e a valorização do Real, na taxa de câmbio, mas com incentivo na concessão de empréstimos.

A expectativa deste ano para o Dia das Mães, apesar de uma taxa menor que o ano passado, é da aquisição de presentes de maior valor agregado, principalmente eletrodomésticos e eletroeletrônicos, seguido de vestuário e calçados, floricultura, perfumes e produtos cosméticos e de higiene.
Os consumidores de Campinas e região devem gastar mais este ano, projetando um aumento no valor médio do presente, que no ano passado, foi de R$ 175,00, para R$ 200,00 este ano, representando uma elevação de quase 15,0%.

“Mês das noivas” também impulsiona as vendas em maio

As vendas de produtos do segmento de casamentos acontecem na forma de aquisição ou compra, na sua maioria, bem como em “aluguel” ou “leasing”. A grande maioria dos clientes do segmento pertencem à classe “C”, que atualmente é a que mais cresce em Campinas, representando hoje cerca de 52,5% da população, acima das classes “A” e “B” juntas, que representam 35,0%.
Estima-se que o comércio de rua deve movimentar, por ano, cerca de R$ 504 milhões, representando 60% de toda a movimentação do segmento no comércio varejista de Campinas, que chega aos R$ 840 milhões.
Imagens: Divulgação