Armário cápsula – como montar?

  • 14 de setembro de 2021
  • 0
  • 8 Views
Compartilhe:

A indústria têxtil é uma das que mais polui o meio ambiente, provocando impactos ambientais como emissão de gases de efeito estufa, contaminação do solo, alto consumo de água e energia, e falta de um destino correto para os resíduos. Esse alerta vem acompanhado de um novo perfil de consumidor, que está mais atento às formas de consumo sustentável, com peças versáteis e duradouras, que tenham significado e que carreguem a sua identidade. Um exemplo desse movimento que está crescendo cada vez mais são os adeptos do conceito armário cápsula, que de uma forma simplista, consiste em ter itens curingas, fáceis de combinar e que realmente façam sentido com o seu estilo.

Essa é uma maneira de abandonar o consumo exacerbado, de roupas que compramos por impulso e que sequer são usadas ou são poucas vezes utilizadas. “É um método de organização em que se escolhem, em média, 40 peças preferidas, mas você pode fazer um cálculo de acordo com a sua realidade. O importante é selecionar as roupas que você usa frequentemente e que podem ser aplicadas facilmente em diversos looks. É a ideia do ‘menos é mais’. Além disso, a partir de alguns truques fáceis e práticos, você pode reaproveitar aquela peça que já tem no guarda-roupas e que estava sem uso”, comenta a consultora de moda e estilo consciente, Fernanda Wachholz, parceira da Made by You, marca de kits handmade de tricô e crochê.

Confira as seis dicas que ela preparou sobre como montar um armário cápsula:

 

1- Considere a sua rotina

Para pensar em quais peças você deve selecionar, é preciso levar em consideração a sua rotina: dia a dia, trabalho, academia, praia, entre outros. A partir daí, você começa a definir o que vai precisar para as diferentes ocasiões.

2- Separe o que usa pouco e o que quase não usa

Você guardou aquela roupa para um momento especial e já faz meses que ela está encalhada no seu armário? Ou, você comprou uma blusa, usou uma vez e depois nunca mais? Acredite, esses são itens que podem ser dispensados para doar ou até fazer um brechó. Com certeza deverá ficar de fora do seu armário. Desapegue. Libere espaço e energia!

3- Defina seu estilo

Quais peças não podem faltar no seu dia a dia? Quais cores e itens você usa sempre e são versáteis nas combinações? Mantenha essas peças, lembrando que devem contemplar as diferentes estações do ano e necessidades, como moda íntima, por exemplo.

4- Aposte no básico

Na dúvida, opte sempre por itens mais básicos e clássicos, que não têm erro na hora de fazer combinações de looks. Vale para roupas, acessórios e sapatos. Tenha sempre as cores neutras, mas claro, separe também as cores mais fortes que você goste para criar os contrastes.

5- Qualidade x quantidade

Como já falamos aqui, a ideia é desapegar do excesso. Por isso, aquela blusa fast fashion com qualidade inferior e com menor preço vai durar menos tempo, são mais “descartáveis”. Invista em peças de qualidade, mesmo que custem um pouco mais. Elas possuem maior durabilidade e, a longo prazo, pesarão menos no seu bolso também.

6- DIY

Quer abraçar de vez o conceito de consumo mais sustentável? Faça você mesmo a sua roupa. São inúmero benefícios: você escolhe um item que é a sua cara, você mesmo confecciona e, por isso, traz um aprendizado e um sentimento de satisfação após finalizá-lo. Sem contar no orgulho que é ter algo feito por você mesmo, sabendo a origem daquele produto. “Peças de crochê e tricô possuem uma boa durabilidade e são versáteis, podendo ser usadas no calor e no frio, dependendo do modelo e fios. É uma proposta para resgatar o valor do artesanal, a partir de uma moda mais humanizada e com peças atemporais”, pontua Fernanda.