Turismo: como minimizar as perdas usando a tecnologia

  • 2 de junho de 2020
  • 0
  • 60 Views
Compartilhe:

A pandemia de coronavírus trouxe uma crise sanitária e econômica sem precedentes. Em âmbito global, diferentes setores buscam se reinventar para minimizar perdas e auxiliar cidadãos neste momento desafiador. Nesse sentido, o setor de Turismo tem sofrido duras penas: no Brasil, durante a primeira quinzena de março as perdas já superavam os R$ 2 bilhões e tinham potencial de reduzir até 115 mil empregos formais, de acordo com estimativas da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Para superar esse cenário, cada vez mais empresas têm visto a tecnologia como um meio eficaz de garantir produtividade. E, de acordo com a Minsait – empresa líder em consultoria de transformação digital e tecnologia da informação – essa estratégia está mais do que correta. O momento é de ter empatia, cuidar para aumentar a visibilidade e estar preparado para rápidas mudanças são conceitos essenciais para ter em mente durante esse período.

Trazendo essa abordagem para o ponto de vista prático, segundo a companhia, será necessário ter o olhar digital direcionado a quatro pontos essenciais: estratégia de negócios, comunicação, canais e clientes. “As estratégias têm como objetivos a digitalização da experiência do usuário e, também, a automatização de processos internos visando à redução de custos”, afirma Marcelo Bernardino, head de Indústria e Consumo da Minsait no Brasil.

Estratégia de negócios: Tornar o acesso fácil a políticas de cancelamento claras e oferecer novas soluções de pagamento, junto a cupons de desconto e novas formas de assinatura. É necessário também repensar o próprio modelo de negócio e a proposta de valor a que se propõe a cumprir. A hora também é de tirar projetos da gaveta e fazer testes com consumidores, usando metodologia ágil.

Comunicação: Fortalecer o posicionamento de marca, construir ofertas personalizadas, trazer flexibilidade nas ofertas e incentivar compras com descontos.

Canais: Simplificar o processo de reserva, adaptar canais para novos padrões de usabilidade, otimizar a presença em sites de busca, reduzir custos de distribuição.

Clientes: Trazer estratégias centralizadas no consumidor, com análise e conhecimento a respeito de quem compra, comunicação e experiência personalizadas, constante avaliação e feedback para aprimorar a relação com clientes.

E depois do coronavírus? A Minsait defende que essas estratégias serão fortalecidas continuamente, com o olhar centrado em como conseguir tornar mais rentável a experiência de passageiros em todo o mundo. “Reforçar a oferta de pacotes nacionais, investir em posicionamento e SEO, manter interações constantes por meio de canais digitais e adequar canais à nova demanda serão pontos fundamentais a serem explorados pelo setor de forma global”, defende Bernardino.

Exemplo disso é a projeto Smart Camiño, já em operação pela Minsait antes mesmo da pandemia. A solução consiste basicamente em uma plataforma digital com aplicativos que turistas podem baixar no próprio celular a fim de obter orientação e informações turísticas de forma ágil e eficiente.

Atualmente, a plataforma está em funcionamento na Galícia (Espanha) e já trouxe como consequência o aumento de 68,5% em consultas a respeito dos destinos da cidade por parte de turistas. Ao todo, já foram registradas mais de 300 mil visitas aos sites relacionados à cidade, feitas principalmente por turistas da Itália, Portugal, Estados Unidos, Alemanha, França, Argentina e México.