Em Destaque na Cidade Especial – Cinema:

  • 15 de julho de 2010
  • 0
  • 28 Views
Compartilhe:

O Escritor Fantasma

Um escritor fantasma (personagem sem nome vivido pelo ator Ewan McGregor) é contratado para dar seguimento ao livro de memórias do ex-primeiro ministro britânico Adam Lang (Pierce Brosnan). A obra vinha sendo escrita por um assessor e amigo do político, morto recentemente em um acidente.
O escritor a princípio não se interessa pela tarefa, porém é incentivado por seus colegas, que viam no projeto uma oportunidade única em sua carreira, além de uma remuneração financeira invejável.
O rascunho do livro de memórias de Lang é mantido sob forte esquema de segurança, fato que influencia o estilo de vida do escritor contratado, já que ele não pode se expôr nem revelar a ninguém seu envolvimento com Lang, acusado de diversos crimes de guerra.
Recluso em uma praia onde reside o ex-primeiro ministro, o escritor fantasma começa a colher depoimentos de Lang e de pessoas ligadas ao britânico para tornar a biografia do político mais humanizada e interessante aos leitores.
Mergulhado neste universo, ele começa a descobrir fatos inquietantes que o levam, cada vez mais, ao obscuro passado do ex-primeiro ministro. Aos poucos o escritor começa a correr risco de vida e percebe que a morte de seu antecessor no desenvolvimento da biografia de Lang esconde grandes mistérios. E ele decide desvendá-los de qualquer maneira.
O Escritor Fantasma aborda as facetas do mundo político, a guerra pelo poder, o jogo de aparências, em um universo de traição e mentiras, como infelizmente vemos muito nos dias atuais. As ideias de que “nem tudo é o que parece” e a de que “no universo da política a disputa pelo poderio não tem preço”, são as principais linhas guias deste filme.
Pierce Brosnan e Ewan McGregor em O Escritor Fantasma: suspense do começo ao fim

Texto: Letícia Zuppi

Foto: Divulgação