Teatro Castro Mendes reaberto: praça Corrêa de Lemos ganha vida

  • 14 de dezembro de 2012
  • 0
  • 40 Views
Compartilhe:
Foto: Rogério Capela

A reabertura do Teatro Castro Mendes trouxe de volta vida à Praça Corrêa de Lemos, na Vila Industrial, em Campinas.  Prova disso é o orgulho expressado pelas famílias e casais que têm visitado o local a cada noite de espetáculo da programação de reinauguração do teatro.  

A comerciante Lígia Felisberto, moradora da Vila João Jorge, levou a filha para brincar no novo playground instalado na praça do Castro Mendes, no início da noite de 12 de dezembro. Ela demonstrou orgulho e aproveitou a ocasião para lembrar que o trabalho deve continuar. “É muito bom, porque há muito tempo não contávamos com área de lazer para as crianças na região. A praça está bonita e iluminada. Agora tem que cuidar para que essa área e o teatro permaneçam assim”, cobrou. 
Dyele Leal, dona de casa que vive com a família na Vila Industrial, também se mostrou satisfeita com a reforma do teatro e a revitalização da Praça Corrêa de Lemos. Ela enfatizou, ainda, a necessidade da próxima administração investir na imagem da cidade. “Se uma cidade como Campinas não tiver uma boa imagem, além de um turismo forte, perde visitantes, o que é ruim para todos. Essa praça, por exemplo, era visitada apenas por usuários de droga e moradores de rua antes de ser fechada. Depois de uma reforma como essa, tudo muda”, salientou. 

E ninguém melhor do que o chefe setorial do teatro Castro Mendes, Geraldo Tavares do Nascimento, para atestar a mudança do perfil do público que frequenta a praça. Em seus 33 anos de trabalho na Prefeitura de Campinas, cerca de 20 deles atuando apenas no Castro Mendes, ele vivenciou todas as fases pelas quais o teatro e a praça passaram. 
Prestes a se aposentar, ele falou com alegria e já com uma certa nostalgia sobre a responsabilidade da função. “Eu e toda equipe do teatro somos responsáveis por manter o bom funcionamento da infraestrutura física e da técnica, necessárias ao espetáculo. Nosso papel é garantir que o público saia daqui feliz e satisfeito, não apenas pela beleza do espetáculo, mas por ter sido bem recebido na portaria, bem orientado. Temos de zelar pelos que pagaram seus ingressos”, explicou, lembrando que o próximo a assumir seu lugar tem de abraçar essa causa. 
Nascimento também concordou com a opinião de Lígia e Dyele, garantindo que a mudança no perfil de freqüentadores do espaço é grande. “As famílias e os casais tinham se afastado daqui. Agora, toda noite é essa beleza”, ressaltou, se referindo aos visitantes. 
Para Nascimento, é gratificante a sensação de ter feito parte dessa mudança. “Eu demorei a acreditar que essa magia voltaria à praça e que o teatro seria reerguido, mas fui um dos que brigou por isso e agora me sinto grato. Lugares públicos não cuidados ferem não apenas a imagem da cidade e dos cidadãos, mas, principalmente, dos funcionários públicos”, completou. 

Com informações de Rita Hennies