Os Três Porquinhos estreia no Teatro Amil

  • 5 de outubro de 2013
  • 0
  • 27 Views
Compartilhe:

Famosa por ter tantas adaptações, a clássica estória dos Três Porquinhos ganha montagem da Companhia Realce e trilha sonora original composta por Romeo Tonello. O espetáculo acontece aos sábados e domingos, às 16h, no Teatro Amil, em Campinas, até 27/10.

Em meio a brincadeiras, os porquinhos tentam driblar um lobo mau (papel de Alex Moreira) que os persegue para deles fazer refeição. Para se proteger, os três constroem suas casinhas. O mais trabalhador, o Prático (Rodrigo Ximarelli), escolhe tijolos; Heitora (personagem que Priscila Galan e Vanessa Macedo revezam em sessões alternadas) e Cicinho (Dimas Stecca) optam por menos trabalho e material mais simples, madeira e palha, respectivamente.
 
 
09002566-001

 
 

Quando o lobo aparece para devorá-los, a estrutura das construções é posta à prova. O vilão derruba duas moradas e os habitantes fogem para o abrigo de tijolos. Na tentativa de capturar os irmãos, o lobo tenta destruir a casinha, assoprando-a até desmaiar de cansaço. No final, ele acaba em um zoológico numa cena interativa que envolve a participação de alguns papais.

Além de mostrar a amizade e a solidariedade entre os irmãos que se autoprotegem, a peça evidencia a necessidade de se preocupar desde cedo com responsabilidades, como a construção de um abrigo resistente para se proteger.

“São três divertidos porquinhos, que se envolvem em aventuras com um lobo, por não terem casinhas para se proteger. Com personalidades distintas, um mais sério e trabalhador, outro brincalhão e outro mais sapeca ainda, vencem o vilão que é bem trapalhão, culminado em um final de reconciliação entre todos”, fala o diretor Marco Bueno.

Cada porquinho usa maquiagem facial, que é complementada com um focinho de borracha e boinas coloridas adereçadas com orelhas. As caracterizações das personagens foram mantidas e no enredo feitas inserções, como a figura do Sr. Tonico, que lembra um caipira e auxilia os bichinhos para se proteger.

De fácil montagem, a concepção cenográfica emprega os atores para construir e desmontar as casinhas em cena. De fundo, painéis de árvores bordadas em telas de construção formam a floresta.

Os ingressos inteiros custam R$ 15,00 (setor 2) e R$ 25,00 (setor 1)

 
 

Foto: Anderson Pedro