O clima e a saúde da pele

  • 16 de março de 2022
  • 0
  • 19 Views
Compartilhe:

Chuva e sol, manhã nublada e tarde escaldante, um dia quente e outro refrescado bruscamente por uma massa de ar frio. O termômetro não é o único a se ressentir das oscilações constantes do clima. Estas mudanças, na verdade, afetam a saúde como um todo. Em se tratando da pele, as consequências são ainda mais perceptíveis. As variações dos humores climáticos, especialmente no verão, tornam a pele mais propensa à oleosidade e à acne. Nestas situações, é preciso defendê-la e também buscar pontos de equilíbrio para o organismo.

De formas variadas, o clima afeta a sensibilidade, a hidratação e a renovação celular da pele. “Diante de altas temperaturas, a pele tende a ficar mais oleosa”, observa a dermatologista Anelise Dutra.

A médica afirma ainda que a secreção exacerbada das glândulas sebáceas, juntamente com sujidade da pele e impurezas do meio externo podem obstruir a saída dos folículos pilosos e causar comedões (conhecidos popularmente como cravos) e acne. Ela destaca que as impurezas externas, advindas de poluição, também contribuem para agravar o problema.

 

No inverno e no verão

 

O ressecamento da pele não é exclusividade do inverno. Nos dias quentes, a exposição solar sem a devida proteção pode torná-la ressecada. Em alguns casos, a pele chega ao ponto de descamar, ressalta a médica.

Em meio às oscilações do clima, é possível prevenir e combater os efeitos nefastos de um dia escaldante com direito a chuvas, ventanias e noite mais fria para a saúde. O dermatologista Dário Rosa observa que é fundamental hidratar o organismo e fazer uma alimentação balanceada, rica em nutrientes e que reforcem a imunidade do corpo.

Para que a pele não se ressinta das variações climáticas, Rosa reforça a importância de higienizá-la corretamente. O uso de água termal e hidratante vem para contribuir com a beleza e o aspecto saudável.

“A aplicação do filtro solar adequado a cada tipo de pele é algo que considero fundamental”, afirma o dermatologista. Além de evitar os efeitos nocivos dos raios solares UVA e UVB, o protetor é um agente de prevenção contra o câncer de pele e outras doenças graves.

Para quem se submete a tratamentos estéticos, como depilação a laser, aplicação de ácido hialurônico, entre outros procedimentos, Anelise Dutra e Dário Rosa são unânimes em afirmar que o filtro solar não apenas protege a pele, mas auxilia na recuperação das áreas tratadas.

Tomando os cuidados necessários, reforçam os dermatologistas, é possível aproveitar o verão com saúde.