"Espontânea" retorna ao Teatro Amil

  • 30 de setembro de 2012
  • 0
  • 26 Views
Compartilhe:
O que pode acontecer quando você mesmo sugere o conteúdo para uma peça e acompanha o desenrolar da história? Certamente um espetáculo nunca será igual ao outro. Essa é a proposta do espetáculo Espontânea, que usa a técnica de improvisação, nesse projeto inovador do Núcleo EsTeP – Núcleo de Estética Teatral Popular, que está de volta ao Teatro Amil, em Campinas, a partir de 12/10.

 O espetáculo traz uma nova forma de improviso onde o público aponta o rumo e contribui com estímulos que servirão de no desenvolvimento do espetáculo, através de frases criadas e de poemas selecionados nas obras de grandes nomes da literatura. “Os atores são transformados em dramaturgos e a plateia pode contemplar todo o processo criativo normalmente confinado às salas de ensaio. Inclusive a música e a iluminação são desenvolvidas ao mesmo tempo em que o espetáculo está acontecendo”, explica Ian Soffredini, produtor e diretor de pesquisa do Espontânea, que também atua no espetáculo.
 O elenco formado pelos atores Ana Paula Dias, Ian Soffredini, Leandro Alves, Michelle Gallindo, Pedro Monticelli e Silvia Lhullier, convida o público a viver uma experiência ímpar (cada espetáculo terá uma história diferente com base nas escolhas do público) e desafiadora, pois exige raciocínio rápido e interação dos atores.
 O grande diferencial, em relação à maioria dos espetáculos de improvisação que vêm se difundindo no Brasil, é que a peça é o que se chama no exterior de “Long Form”, ou seja, não é baseada em jogos de improvisação que geram uma série de esquetes curtas sem relação entre si. Na peça, a partir das propostas da plateia, o elenco tem que criar uma história completa, com começo meio e fim, e duração aproximada de uma hora. “O Núcleo EsTep há duas décadas vem desenvolvendo uma estética teatral tradicionalmente brasileira com foco na forma. Neste projeto estamos voltando nossa preocupação para o conteúdo. Por isso encontramos na improvisação uma forma de estudar os pilares da dramaturgia. Também é uma oportunidade única de participação do público”, diz Ian Soffredini. 
 O espetáculo acontece às sextas, à meia-noite, até 14/12.

Foto: Simone Soffredini