Decoração: Deslumbrantemente práticos

  • 15 de janeiro de 2014
  • 0
  • 31 Views
Compartilhe:

Verniz náutico, sunbrella, acqua block, tela sling, aquatec, alumínio em grau marítimo… São expressões pouco conhecidas do público, mas muito populares entre os profissionais do ramo de arquitetura, decoração e afins quando o assunto é projeto para áreas externas, ambientes que geralmente são os queridinhos dos moradores, como não poderia deixar de ser em um país tropical.

Varandas, decks, espaços gourmet e sacadas podem combinar com a decoração interna ou não. O diferencial desses ambientes é que, além dos quesitos conforto, harmonia e beleza, eles precisam também ser compostos de artigos de mobiliário e decoração resistentes às variações do tempo. Com o avanço na oferta de produtos tecnologicamente avançados, a durabilidade aumentou. O difícil é resistir aos lançamentos, mesmo não havendo necessidade de substituir o mobiliário.

As apostas da proprietária da Mac Campinas, Soninha Vilela, são em direção aos detalhes, como garden seat, caixinhas, potes, vasos e o paisagismo. Os tecidos também não devem ser subestimados. Ela aconselha voltar atenção para o sunbrella, que impede que a umidade atinja a espuma, e o acqua block com opções de estampas de listras, folhagens ou animal print.

 
 

imagem_release_153794
 
 

Os estilos clássico e contemporâneo propostos por Soninha privilegiam o alumínio em grau marítimo, que é mais resistente à corrosão e está disponível em 19 opções de cores. Dos materiais naturais, o destaque fica com a madeira cumaru, a mesma usada nos decks dos resorts por ser resistente à chuva. Mobiliário com tela sling, que tem alta durabilidade e não esquenta, pois possui pequenos furos para a passagem de ar, também é uma das apostas de Soninha.

Para o proprietário da Camp Garden, Arlindo Ferrari Júnior, as combinações tradicionais para aproveitar as horas de dolce far niente nos ambientes externos são o alumínio com fibra sintética e o alumínio com tela sling. Segundo ele, a primeira opção permite maior durabilidade. Já a segunda, concede leveza e conforto ao mobiliário. “Porém, há cerca de três anos, estamos usando muito as madeiras cumaru e a peroba de demolição, tanto com a tela sling, como com a fibra sintética e também com o cânhamo. Quando se fala no emprego de madeira na área externa, é preciso pensar bem na forma de usá-la, pois isso pode exigir uma manutenção maior. Mas a considero mais bonita, aquece os ambientes e os torna aconchegantes”, explica.

Na avaliação de Ferrari Júnior, o consumidor que apostar em móveis de linhas retas, com pés palitos e tecidos em tons pastéis, lisos com listras e crus, não se arrependerá. O ideal é que essa composição tenha ainda tecidos aquatec. “Eles possuem qualidades como resistência às variações do tempo, conforto e praticidade. São perfeitos para aplicações em móveis de ambientes externos, varandas e jardins. Além disso, há diversas estampas e cores”, conclui.

 
 

image description
 
 

Alessandro Rosolen, da D.O.N. Móveis & Objetos, entende a relevância que as áreas externas ganham nesta época e a importância desses espaços para quem preza morar bem. “O cliente busca uma integração entre as áreas interna e externa. O espaço gourmet, onde os arquitetos e designers usam toda sua criatividade, é o ambiente ideal para fazer esta ligação, se transformando, em muitos casos, no ambiente mais utilizado da casa”, considera.

Além do alumínio e da fibra sintética, Rosolen defende o uso de madeira maciça com acabamento rústico ou liso. O tipo de ambiente é que deve determinar a opção. “Nós indicamos a madeira para ambiente semiaberto”, orienta. Mas ele lembra que há cuidados imprescindíveis: “qualquer madeira precisa ser lixada e envernizada em um prazo muito curto para manter a beleza”.

 
 

outubro 2012 - Ambientes Dra Jussara - Beto Tozzi Fotos: Tatiana Ferro
 
 

O que costumamos chamar de área externa, a proprietária da Sierra Isa Amaral, vê apenas como uma forma de expressão. “Tudo ficou integrado, o fora ficou dentro”, diz Isa. Não há amarras. O mobiliário externo não precisa seguir a linha da decoração interior. “Pode ser independente. O que precisa ser observado é o bom senso”, avisa.

Com estilo contemporâneo, a madeira é o material mais empregado nos móveis da Sierra Isa Amaral. O destaque é a teca, por resistir melhor às variações do tempo. A madeira de demolição torna o ambiente rústico e remete à natureza, até pelas imperfeições naturais ou provocadas pelo tempo. “Madeira vai muito bem com diversos materiais, como fibra natural, vidro e aço”, orienta Isa. Para ela, os tecidos sintéticos devem sempre ser lembrados na hora de mobiliar as áreas de lazer. “Sugiro para as áreas externas móveis com uma espuma importada da Alemanha, cuja tecnologia não deixa criar mofo e não deixa a água aderir”, explica.

 
 

imagem_release_153802
 
 

Nádia Guimarães, proprietária do Empório La Poltrona, sabe que, principalmente nesta época do ano, a família e os amigos passam grande parte do tempo na área externa. Por isso, é fundamental que todos se sintam bem no ambiente. Para aqueles que estão satisfeitos com o mobiliário, ela orienta a renovação da área com uma simples troca de almofada. “O azul e o amarelo estão em alta, mas é importante deixar de lado os modismos e confiar no próprio estilo. A moda é o que te agrada e depende do gosto de cada um e do estilo da casa”, completa.

Nádia também aposta no emprego da madeira – licenciada, ou seja, proveniente de árvores mortas naturalmente, sem agressão à natureza, de acordo com os preceitos de preservação ambiental – como o jatobá. Com verniz náutico, a madeira enobrece. Mas quem abrir mão do tratamento visual ganhará um charmoso estilo europeu. “Uma dica interessante são as peças de madeira com junco sintético, mas além do mobiliário é preciso pensar nos detalhes. Panelas amarelas, vermelhas, turquesas, televisores de LED e carrinhos em madeira com inox são toques que fazem a diferença na hora de compor um espaço, por exemplo, como uma varanda gourmet”, explica.

 
 

imagem_release_153803
 
 

Fotos: Tatiana Ferro