Transplante de barba cresce entre os homens

  • 8 de novembro de 2021
  • 0
  • 6 Views
Compartilhe:

Muitos homens têm vontade de ter uma barba mais cheia, no famoso estilo lenhador, mas não têm uma genética que favoreça. Alguns carregam pequenas falhas, outros menos volume e até a ausência de pelos na região. O transplante de barba pode ser a solução.

“O uso da barba por fazer ou mais longa, tem sido tendência nos últimos anos e, consequentemente, o transplante de barba também tem tido cada vez mais procura. Com o procedimento, o paciente pode corrigir falhas, aumentar densidade, e devolver pelos para regiões glabras”, explica a Cirurgiã Plástica e especialista em transplante capilar, Dra. Cíntia Carvalho.

A técnica do transplante de barba é a mesma do transplante capilar, a chamada FUE (Follicular Unit Extraction) que atua de forma minimamente invasiva, retirando unidades foliculares uma a uma da área doadora, o que não deixa cicatrizes perceptíveis.

Entre as áreas doadoras para o transplante de barba, estão a própria barba cervical e o cabelo, que também pode ceder folículos para a região. Caso o paciente sofra de calvície, a Dra. Cíntia explica que é possível sim fazer os dois procedimentos (transplante capilar e barba) desde que o grau de calvície não seja avançado, e que a área doadora seja densa o suficiente.

“Nos casos de homens que têm Alopecia Androgenética, a avaliação pré operatória precisa ser realizada com muita cautela, para verificar se a área doadora, que é finita, é suficiente para fornecer folículos tanto para a barba, quanto para a área de calvície. Por isso, é fundamental que o médico seja bem experiente, para entregar o melhor resultado, com mais naturalidade e sem criar falhas e rarefação na área doadora capilar”.

O transplante de barba por FUE é simples, com pós-operatório tranquilo e de recuperação mais rápida que a técnica FUT, sendo que em três meses os resultados já começam a aparecer.