“Mulheres Alteradas” estreia em Campinas

  • 1 de fevereiro de 2012
  • 0
  • 31 Views
Compartilhe:

Estreia no próximo dia 3 de fevereiro no Teatro Amil, em Campinas, o espetáculo “Mulheres Alteradas”. A peça traz Samara Felippo, Flávia Monteiro, Marisol Ribeiro e Daniel Del Sarto no elenco.

Com roteiro inspirado nas charges da autora argentina Maitena, a montagem é apresentada com música ao vivo e trilha sonora original interpretada pela banda Alteradas. A adaptação para teatro é de Andrea Maltarolli – autora de novelas da TV Globo, como Beleza Pura – com colaboração de Bernardo Jablonski. A montagem é dirigida por Eduardo Figueiredo.
De acordo com Maitena, o texto da peça se resume em “(…) aquela que até ontem esperava dormindo, compra uma cinta liga; a executiva que administrava uma empresa quer viver em um camping; aquela que cuidava da sogra como sua própria mãe interna as duas em asilo; a magra vira uma vaca de gorda e a gorda perde vinte quilos.”
Na adaptação brasileira, elas ganham nomes e personalidades. Lisa (Samara Felippo) é separada do marido, mãe de um único filho. Apesar de ser inteligente, tem preocupações fúteis e está crise por conta de um nódulo que apareceu em um dos seios. Alice (Marisol Ribeiro) é uma mulher solteira, vive no “mundo da lua”, mas não desiste de encontrar o seu grande amor; já Norma (Flávia Monteiro) é uma executiva pragmática, casada, com dois filhos que se depara com uma terceira gravidez. Daniel Del Sarto incorpora vários personagens masculinos, que criam identificação imediata com os homens da plateia.
O texto é uma adaptação inédita dos cinco volumes da série “Mulheres Alteradas”, de autoria da chargista e cartunista argentina Maitena que negou a venda dos direitos de sua obra ao cineasta Pedro Almodóvar, a produtores de cinema do México e dos EUA. Os palcos da Argentina, Espanha e México também não foram contemplados. O Brasil é o primeiro país a exibir uma adaptação da obra de Mulheres Alteradas para o teatro, direitos cedidos à produtora ‘manhas & manias de eventos’.
Respeitando as ideias de Maitena na abordagem de temas tão caros ao mundo feminino – como o corpo, moda, homens, amores, família, filhos, trabalho, o passar do tempo e a falta dele – essa versão cênica, 100% aprovada pela autora, é fiel ao retratar o seu talento e o humor ao compartilhar desse universo rosa-choque.
A peça mapeia o discurso sobre a feminilidade presente no mundo contemporâneo dessas mulheres, assoladas por cobranças e demandas desgastantes e, às vezes, quase impossíveis de atender simultaneamente: trabalhar o dia todo, dentro de casa também (e de forma exemplar!), serem mães maravilhosas, amantes insuperáveis e manter a boa forma física e estética. Isso, sem contar com a necessidade de ostentar uma vida emocional serena, equilibrada, a toda prova.
“Elas representam as figuras femininas, que em geral não possuem nomes, da quadrinista argentina Maitena. Essas personagens espelham características de uma mulher universal, cujos assuntos preferidos são: corpo, moda, homens, amores, família, filhos e trabalho”, resume Eduardo Figueiredo.
O espetáculo pode ser assistido às sextas e sábados, às 21h e domingos, às 19h, até 26/02.

Foto: Leandro Amaral