Marcelo Tas profere palestra na CPFL Cultura

  • 14 de agosto de 2010
  • 0
  • 30 Views
Compartilhe:
O comunicador, jornalista e apresentador do programa CQC (Band), Marcelo Tas, vem participando neste mês de agosto de um ciclo de palestras no Café Filosófico da CPFL Cultura Campinas.
No último dia 06/08 o jornalista proferiu a primeira palestra da sequência, intitulada “Nova Renascença ou  fim da picada?”, em que abordou as novas tecnologias ligadas à comunicação.

Tas iniciou a palestra colocando a inquietude das pessoas em definir a época em que vivemos, com tantas mudanças importantes e novidades tecnológicas, com reflexo nas relações interpessoais. “Como definir a época de hoje? Seria uma nova Renascença, momento da história em que também houve grandes mudanças? Para alguns é o fim da picada, já que trata-se de um momento de muitas coisas acontecendo, uma verdadeira confusão. Porém isso não diz respeito apenas ao período atual. Cada época tem uma enorme dificuldade de definição de si mesma”, disse.

Tas lembrou que embora pareçam recentes e tenham estado mais em pauta devido ao surgimento de sites como ‘Orkut’ e ‘Facebook’, as redes de relacionamento são bastante antigas. “Até hoje cada época foi caracterizada por redes de relacionamentos diferentes. Vivemos em rede desde o princípio dos tempos e assim vamos registrando e publicando nosso conhecimento sobre o mundo de diferentes maneiras”, colocou.

Marcelo Tas comentou a importância atual dos provedores de informação. Segundo ele, antigamente havia apenas um provedor principal, que era o professor escolar. Atualmente temos um cenário diferente. “Hoje o aluno vai pra escola e lá não encontra mais o seu único provedor. Ele tem à sua disposição a internet, a televisão, entre tantos mais. Por isso muitas pessoas imaginam que os professores estejam perdendo espaço neste mundo de modernidade, quando é justamente o contrário. Eles nunca foram tão necessários, assim como os comunicadores. É deles o papel de nos contextualizar em meio a esta enxurrada de informações”, enfatizou.
O fato de estarmos permanentemente “conectados” com o mundo a nossa volta também foi alvo dos comentários de Tas. Para ele, a praticidade de algumas formas de comunicação atuais fazem com que ele possa monitorar a receptividade de seu trabalho como comunicador. ” A tal rede de que falamos e da qual fazemos parte está cada vez mais móvel. Andamos com ela no bolso! O ‘Twitter’, por exemplo, considero fascinante. Com ele posso ter minuto a minuto o feedback do meu trabalho e ouvir as críticas, principalmente quando estou apresentando o CQC. Sinto-me dentro de uma parte do cérebro das pessoas, é uma relação muito próxima com o público”, disse.

Após a palestra, Tas debateu alguns tópicos ligados ao tema colocados pelo público presente.

Marcelo Tas durante palestra na CPFL Cultura Campinas

O comunicador discute “Nova Renascença ou fim da picada?”

Marcelo Tas: “Vivemos em rede desde o princípio dos tempos”

Para Tas, “Twitter” lhe permite medir a repercussão do seu trabalho
Fotos: Letícia Zuppi e Rodrigo Cancela