Frutas regionais dão o tom aos pratos do Vila Paraíso em festival gastronômico

  • 29 de setembro de 2014
  • 0
  • 29 Views
Compartilhe:

Desenvolver novos pratos de sabores marcantes, harmonizando o contraste do doce com o salgado e, ao mesmo tempo, aliar a eles a sustentabilidade através da cadeia produtiva local. Estes fatores determinaram o cardápio criado pelo Chef Ricardo Barreira, do Vila Paraíso Restaurante, que será apresentado na primeira edição do Festival Gastronômico e Sustentável de Primavera de Sousas e Joaquim Egídio.

O evento acontece de 2 a 12 de outubro, com a participação de diversos estabelecimentos dos dois distritos de Campinas, que formam um dos principais pólos gastronômicos da região. No Vila Paraíso Restaurante os pratos do Festival, que tem como tema “Flores e Frutas”, poderão ser consumidos de quinta a sábado, somente no jantar, com um valor fixo de R$ 55,90, com direito a entrada, prato principal e sobremesa.

O Festival Gastronômico e Sustentável de Primavera foi oficialmente aberto com o “Adegas na Praça”, nos dias 26, 27 e 28 de setembro.

 
 

Peraaovinho
 
 

Para o Festival, o Vila Paraíso servirá de entrada um prato composto de queijo Camembert empanado, geléia de laranja kinkam e maracujá, duas frutas de épocas, comercializadas no Ceasa Campinas, mas com sabores suaves e marcantes, que pode ser aproveitada durante o ano todo, sem perda de seu sabor.

O prato principal é um raviolli com massa caseira feita no próprio restaurante com figo, uma fruta típica da região de Valinhos e Vinhedo, com uma leve crosta de amêndoas laminadas. Segundo o chef Ricardo Barreira, neste prato foi obtido um equilíbrio perfeito entre o salgado, o doce e o azedo da figo. “É uma receita diferente, mas que vai surpreender as pessoas pelo paladar”, conta ele.

Já a sobremesa que será servida é uma pêra cozida no vinho branco e sorvete de canela. “Escolhemos a pêra por ser uma fruta simples, sem querer inventar. Serviremos ela inteira, tendo como proposta que o cliente possa cortá-la ser fazer força, com a própria colher.

Aliás, a palavra chave para as escolhas dos pratos, segundo Ricardo Barreira, foi a simplicidade, “Estamos convencidos de que a diferença entre os pratos servidos pelos restaurantes será o simples, simples na forma de apresentação e na forma de como degustá-lo, seja em Campinas, seja em qualquer parte do mundo”, completa o chef.

 
 

Foto: Divulgação