Brincadeiras: entretenimento para as crianças em tempos de crise

  • 30 de abril de 2020
  • 0
  • 67 Views
Compartilhe:

Em tempos de crise, tirar o protagonismo do tablet e do computador entre as crianças, torna-se cada vez mais difícil. Porém, há muitas alternativas para driblar a tecnologia e envolver os pequenos em outras atividades. Segundo a pedagoga Maibí Mascarenhas, “As crianças de hoje também querem brincar, assim como as crianças de quaisquer gerações anteriores. Só é necessário criar condições para que isso aconteça”, diz.

O brinquedo, o jogo e a brincadeira já são, intrinsecamente, atividades que promovem a aprendizagem e desenvolvem competências. Segundo Maibí, todas as atividades dos centros de interesse comuns das crianças são educativas, além de recreativas. “Quando a criança de um a três anos brinca com objetos de encaixe, desenvolve a atenção e a coordenação motora. Já quando brinca de ‘pula, pipoca’, que é uma brincadeira musical, trabalha a percepção, a concentração e a psicomotricidade. Estas e outras atividades recreativas desenvolvem aspectos fundamentais para o amadurecimento”, explica.

Uma boa ideia para as crianças maiores é organizar um piquenique em casa ou separar horários regulares diários para realizar jogos e brincadeiras em família.

O ato de brincar é essencial porque desenvolve diversos aspectos e trabalha conceitos através do lúdico. É através do brincar que a criança testa situações, projeta suas próprias leituras sobre contextos específicos e expressa suas habilidades e dificuldades, podendo aprender e colaborar com seus colegas, criar e fortalecer comportamentos e conceitos que refletirão em sua trajetória durante toda a vida. É como um estágio preparatório leve para as etapas posteriores, essencial para todo indivíduo.

Dicas de brincadeiras e a participação dos pais

São inúmeras as brincadeiras que fazem sucesso entre a criançada, como ovo choco, adoleta, passa anel, “em que mão está”, detetive, atenção, gato mia e cabra cega.

A participação da família é fundamental, tanto pela criação e fortalecimento do vínculo afetivo como para, além de divertir-se e reforçar a importância da criança no contexto familiar, promover e mediar situações lúdicas de diversão e aprendizagem. É uma forma importante de conhecer a realidade de cada criança e direcionar eventuais pontos a serem trabalhados, além de ser uma fonte de diversão para todos no momento atual.