Banheiros da Casa Cor Campinas sugerem banho de renovação

  • 10 de outubro de 2013
  • 0
  • 25 Views
Compartilhe:

09093333

 
 

O espaço mais íntimo dentro de uma casa é também um dos grandes destaques da edição 2013 da Casa Cor Campinas. Os seis banheiros do Palácio do Bispo, sede da mostra campineira este ano, foram renovados com a proposta de mudar o olhar do visitante para esse ambiente onde cada um se encontra consigo mesmo.

A Sala de Banho da Contemplação é o resultado dos conceitos de renovação e simplicidade, na criação de Eliana Barros, André Zanolini e Lis Vendito. “Viemos da água, que recebe qualquer energia. O banho é o momento em que você organiza o seu dia, logo cedo, ou quando você lava as energias que não te interessam, no final do dia. Portanto, a Sala de Banho da Contemplação valoriza esse momento único, onde os cinco sentidos são estimulados”, sintetiza Eliana Barros.

Em tons de cinza e branco, a Sala de Banho da Contemplação proporciona uma sensação de paz e tranquilidade, que ajudam a traçar o sentido que deverá ter o seu dia, continua Eliana. Dentro dessa mesma proposta, a Sala de Banho foi idealizada com muita luz, espaço e com pé direito alto para aumentar ainda mais a sensação de amplidão.

Uma banheira vitoriana é o ponto principal do ambiente. A peça de ferro fundido foi restaurada e pintada na cor púrpura, na parte externa; por dentro ela tem a cor pérola, a mesma da parede ao lado, utilizando um lançamento de tinta com efeito camaleão, que muda conforme a incidência de luz. “Isso representa a mudança de nosso humor, que é como a luz.” Para contrapor com a simplicidade dos móveis vintage, Eliana diz que, junto com André Zanolini e Lis Vendito, inseriu objetos zens e modernos, como um painel audiovisual que projeta mandalas e outras imagens.

A louça preta, o papel de parede e o lustre de cristal do Lavabo com Acessibilidade dão o toque luxuoso desejado pela arquiteta Marcela Mendes. “O cadeirante também deseja um lavabo impactante, que não tenha aquela frieza de um hospital ou de lugares públicos que criam banheiros especiais somente por obrigação”, explica Marcela. O ambiente adaptado conjuga conforto e luxo, elaborado nas cores marrom acinzentado com detalhes em bronze e preto. O piso de vinílico na fórmica imita a madeira. “Meu foco e inspiração estão na sensação de conforto e de respeito que o cadeirante precisa ter”, diz a arquiteta.

A mistura entre o moderno e o provençal se destacam no banheiro da Suíte da Filha, uma criação de Mariana Adão e Mariana Oliveira, que pela segunda vez participam da Casa Cor. As arquitetas inovaram com um porcelanato (também Portinari) em novo formato, de 45×90 cm, que permite um melhor aproveitamento em áreas menores. “Os pequenos detalhes fazem a diferença”, acreditam as profissionais. Com materiais acessíveis, elas conseguiram mostrar que é possível criar espaços flexíveis às mudanças e que sejam funcionais. “Permitir a versatilidade do ambiente é muito importante. Pequenas mudanças podem transformar tudo.”

Também em respeito à arquitetura da casa, o designer de interiores Paulo Bianchi Andrade manteve um ar retro no banheiro da Suíte do Casal, sem abrir mão de peças modernas e arrojadas. O espaço recebeu um revestimento em MDF naval, que pode ser molhado. Toda a decoração mescla o antigo e o contemporâneo, com predominância das cores branco, preto e bege.

E para provar que cores escuras podem proporcionar um ambiente leve e agradável, o arquiteto Fábio Tarossi criou um banheiro onde predomina o cinza chumbo, com detalhes na cor berinjela e um piso vinílico cinza, produzido com pneu reciclado. O Banheiro do Restaurante tem estilo contemporâneo com leve toque clássico, inspirado nos lavabos e banheiros londrinos, onde o luxo é também sustentável.

 
 
09022233

 
 

Para remeter à sustentabilidade proposta pelo ambiente, o arquiteto instalou, na parede ao fundo, um quadro com galhos de vini secos, que não precisam de água ou irrigação constante. As torneiras eletrônicas inteligentes também contribuem para diminuir o consumo de água.

A Casa Cor segue até 3 de novembro, à Rua José Ferreira de Camargo, 844 (paralela à Rua Jesuíno Marcondes Machado). De terça a sábado das 13h às 22h – a bilheteria encerra-se às 21h. Aos domingos e feriados das 12h às 21h – com encerramento da bilheteria às 20h.
 
 

Fotos: Christian Meyn