Tecnologias chegam ao mercado das flores

  • 13 de setembro de 2012
  • 0
  • 28 Views
Compartilhe:
Um vaso que não derrama água e um sistema de código de barras que permite ao consumidor, com o seu celular, verificar o preço e a procedência das flores e plantas. É a tecnologia para facilitar o dia a dia. As novidades estão sendo apresentadas na Expoflora, realizada em Holambra, até 23 de setembro.

O município de Holambra, antiga colônia holandesa, responde hoje por entre 35% a 40% do comércio de flores do Brasil. Nem todas as pessoas que adquirem flores sabem como tratá-las para que tenham maior durabilidade ou como utilizá-las em arranjos, para que fiquem anda mais belas. Pensando em proporcionar um maior leque de informações ao consumidor, a Fazenda Terra Viva, de Holambra, decidiu usar a tecnologia e incluir também orientações nos códigos de barras de seus produtos que podem ser escaneados e assistidos pela maioria dos celulares e câmaras. 
 O QR-code (Quick Response, que significa resposta rápida) é um código de barras bi-dimensional que tem a capacidade de ser interpretado rapidamente. Trata-se de uma imagem em 2D que permite a gravação de mensagens, imagens ou pode remeter a links externos por meio da internet. 
 Basta que o consumidor fotografe o código de barras das embalagens dos produtos da empresa para ter acesso a inúmeras informações, desde as essenciais, como o nome da variedade e informações de cultivo, cuidados e dicas de decoração. Parte das informações é transmitida, inclusive, por vídeos. Com o uso de celulares, smartphones ou tablets com câmera, o consumidor utiliza um aplicativo grátis que escaneia o código de barras para ter acesso às informações. 
De acordo com Carlos Gouveia, gerente da empresa, o QR-code estará sendo utilizado nas embalagens dos produtos a partir da Expoflora, para que os consumidores possam obter mais informações sobre o produto, como cuidar e dicas de decoração e jardins. 


 Vaso que não vaza 

Um vaso que não vaza água e impede a movimentação das flores de corte durante o transporte. Criado e produzido pela empresa holandesa Pagter Innovations BV, sua comercialização é feita com exclusividade pela floricultura Flores4all, de Holambra. O lançamento do produto está sendo feito na Expoflora. 
 Batizado de Porto Alegria, o vaso traz o conceito peg-lev. É feito de polietileno de alta densidade. O conjunto consiste em um vaso colorido com um anel removível e retentor, que evita o vazamento da água. O sistema conta com um tipo de espuma absorvente que funciona como depósito de água para manter as flores hidratadas. 
Basta molhar a espuma absorvente com 500ml de água com conservante e prender as flores nos dentes do anel retentor. Os caules devem ter contato com a espuma para que as flores permaneçam frescas, mesmo que tenham de enfrentar dois dias de transporte e mais dois ou três dias no ponto de venda. É o sistema de anel com dentes que fixa o buquê e impede a sua movimentação durante o transporte. 
A Pagter Innovations BV criou, também, uma bolsa cônica com alça para que as flores fiquem bem protegidas e o vaso possa ser carregado como se fosse uma sacola. Quando chegar ao destino, basta romper o cone pela emenda lateral, sem danificar o buquê. Após o termino do florescimento, as flores e a espuma podem ser descartadas e, o vaso, reutilizado, já que é decorativo. 
Como não há acúmulo água no vaso, sendo necessária apenas a espuma úmida, não existe o risco de proliferação do mosquito da Dengue. Por isso o seu uso também é indicado para  flores em cemitérios ou outros locais.“Este vaso deverá fazer muito sucesso, pois resolverá o problema de transporte enfrentado pelos atacadistas e floriculturas. Basta que eles criem um buquê e o encaixe no vaso, despachando-o para o consumidor. Basta tirar a embalagem cônica que protege as flores e você terá um lindo vaso para ser colocado sobre uma mesa, balcão ou aparador”, explica Jerry van der Spek, proprietário da floricultura.

Imagens: Divulgação