Tecnologia: reuniões virtuais na nova realidade

  • 19 de março de 2021
  • 0
  • 55 Views
Compartilhe:

Há um ano, os primeiros casos de Covid-19 apareciam no Brasil. Desde então, a rotina da maioria dos brasileiros se modificou drasticamente, das máscaras faciais às reuniões online, das escolas fechadas ao ifood. “O primeiro ponto de adaptação foi com o trabalho remoto. O setor de vendas sentiu bem essa mudança”, diz o professor da IBE Conveniada FGV, Joeval Martins. “A tecnologia tem um papel importantíssimo na quebra de barreiras, com a adaptação ao trabalho remoto. Reuniões via Zoom ou Meet se tornaram o padrão”, avalia o professor.

A plataforma Zoom avalia que, no segundo semestre de 2020, contabilizava cerca de 300 milhões de usuários por dia. Na métrica utilizada pela companhia, cada acesso a uma reunião contabiliza como um usuário, então, se a mesma pessoa acessa duas reuniões no mesmo dia, em links diferentes, são contados dois usuários.

Já o Google Meet, que utiliza do mesmo modelo métrico do Zoom, contabilizou no primeiro trimestre de 2020, um “pico de 235 milhões” de usuários. Já o Microsoft Teams, que contabiliza apenas uma pessoa, independente de quantas reuniões ela participe no dia, afirmou que, em outubro, seu número de usuários diários era de cerca de 115 milhões. “Existe um processo de aproximação através dessas plataformas online. De qualquer lugar do mundo, conseguimos promover uma reunião entre diferentes pessoas e debater negócios. Outra ferramenta fundamental no período foi o DocuSign, que permite a assinatura e comprovação de contratos através de uma plataforma online”, ressalta Martins.

No mundo, a DocuSign possui cerca de 660 mil clientes, que realizam 1,2 milhão de transações por dia dentro da plataforma, sendo 83% delas efetuadas em menos de 24 horas e 50% em 15 minutos. Todas essas transações possuem certificações e elementos comprobatórios, como avaliação de IP e token, além de ser possível criptografar os arquivos e carimbar data e hora, online.

“Em muitos momentos, antes era necessária uma reunião presencial para preencher contratos e firmar negócios. Agora, a reunião é online e o contrato também migrou para o digital, com a mesma segurança”, afirma o professor, que também fala sobre o impacto ambiental de não utilizar papel nas transações. “No período de pandemia, a quantidade de papel utilizada nas empresas foi muito menor. Além da praticidade do digital, também temos o fator ecológico”, conclui.