Onda Pet

  • 21 de agosto de 2011
  • 0
  • 37 Views
Compartilhe:


Em Destaque na Cidade: Artigo

Você sabia que a arquitetura no mercado Pet está em alta? Já pensou em construir um canil para o seu animalzinho de estimação que tenha fachada similar à da sua casa? Confira abaixo:
“A onda pet na arquitetura”

 

Atire a primeira pedra aquele que não se derrete por um bichinho de estimação. Eles são dóceis, fiéis, companheiros, brincalhões e fazem a alegria da criançada. Exatamente por estes motivos, o segmento de pets cresce em média 30% ao ano no Brasil, alavancando negócios, produtos e serviços.
Esta onda Pet que contagia a todos já chegou ao mercado de arquitetura com a missão de aliar praticidade, beleza e conforto, tanto para projetos residenciais como projetos comerciais. O importante é oferecer ao animal boas condições de higiene e saúde, sem comprometer a estética do projeto arquitetônico.
O arquiteto Aquiles Nicolas Kílaris tem recebido cada vez mais pedidos para incluir em apartamentos e casas um cantinho especial para os bichinhos. Em um de seus projetos de apartamento, a área da lavanderia foi escolhida para acomodar a cama do animal de estimação e a parede ao lado recebeu adesivo de pegadas para ambientar o espaço.
Lavanderia de apartamento foi usada para ambientar o espaço criado para o bichinho

Nas casas om mais espaço ao ar livre, as pessoas desejam um canil funcional e que ao mesmo tempo não comprometa a beleza e harmonia do imóvel. Segundo ele, um de seus clientes pediu para reproduzir na “casinha” que abriga a pastora belga Nina e a Border Collie Lisa, a mesma arquitetura externa da casa onde mora.
Fachada da casa neoclássica onde foi construído um canil com as mesmas linhas arquitetônicas da casa
“O resultado deste trabalho ficou surpreendente. O canil deixa de ser uma solução improvisada nos fundos da casa para se transformar em mais um elemento arquitetônico do imóvel. Externamente, a casa dos animais tem o mesmo estilo neoclássico da casa dos donos. As colunas com frisos, o acabamento da cobertura e do telhado, a entrada, enfim, todo o imóvel foi reproduzido em miniatura dentro do canil”, diz.
Projeto do canil recria uma miniatura da casa onde moram os donos das cachorrinhas Lisa e Nina

Aquiles lembra que, além da estética é preciso estar atento às questões técnicas que têm como objetivo atender as necessidades de higiene e saúde do animal e facilitar a manutenção e limpeza do espaço. Os canis devem ter uma área descoberta e outra fechada.
A área fechada não precisa ser muito grande. O importante é haver espaço suficiente para que o cão possa deitar. Já a área descoberta, conhecida como solário, precisa ser espaçosa para que o animal se movimente com liberdade.
“É preciso escolher bem o local onde o canil será construído. Dê preferência para áreas que recebam o sol da manhã, principalmente na parte aberta, que deve ser bem iluminada”, afirma o arquiteto.
Os tijolos de cerâmica são ideais para levantar as paredes da “casinha”, pois aumentam o conforto térmico. O projeto do canil também precisa ter ponto elétrico e ponto hidráulico, com água quente e fria. O piso dever ter uma inclinação de 8% que facilite a lavagem e o escoamento de água. O piso é antiderrapante, pois se o material for liso, aumentam os riscos de acidentes e desenvolvimento de doenças.
Cercas e paredes devem medir entre 1,5 m a 2 m de altura, dependendo da raça. Tomando todos estes cuidados é possível manter o animal saudável e sua convivência harmoniosa com a rotina da casa. Depois de tudo pronto é hora de relaxar aproveitar a companhia do bichinho.

Fotos: Aquiles Nicolas Kílaris e divulgação