Consciência financeira: Turma da Mônica dá o exemplo

  • 19 de junho de 2021
  • 0
  • 24 Views
Compartilhe:

Com revistas publicadas em mais de 80 países, a Turma da Mônica, criação do desenhista e escritor Mauricio de Sousa, já encantou milhares de leitores, atuando, inclusive, em defesa de muitas causas. Dentre elas, está a importância de desenvolver desde cedo, nas crianças, a consciência financeira. Segundo Mauricio, esse é um trabalho que deve ser realizado em parceria entre família e escola, a partir de exemplos e estímulos.

E quando se trata de aprendizagem voltada aos pequenos, nada melhor que ensinar de forma lúdica. Uma parceria de Mauricio com o Sicredi já rendeu uma série especial de quadrinhos com o tema Educação Financeira para crianças, além de desenhos animados da Turma da Mônica abordando o assunto. Os desenhos podem ser vistos no canal oficial do Sicredi no YouTube.

Quando questionado sobre por que abordar um tema como esse nos quadrinhos, Mauricio destaca que, atualmente, as crianças compartilham seus conhecimentos e experiências com os pais, resultando em uma saudável troca familiar. Se elas aprendem algo, logo passam para os adultos. “Ao aprenderem sobre educação financeira, além de se prepararem bem para o futuro, já ensinam aos pais sobre os cuidados que precisam ter com o dinheiro”, explica o autor.

Ele defende também ser fundamental que os pais conversem sobre o tema com as crianças e adolescentes. “É uma via de mão dupla. Aprendemos muito com nossos filhos, mas também devemos ensinar. Sempre procurei dizer para os meus filhos o que poderia ou não comprar para eles. Nossa família era humilde e não sobrava dinheiro para muitos pedidos. Depois, quando fiquei em uma situação melhor, comecei a trabalhar com as mesadas e dei dicas de como deveriam gastar para aproveitarem melhor e não desperdiçarem. Acho que aprenderam alguns ensinamentos. Hoje, não consomem além do que podem comprar e todos mantêm hábitos simples”, afirma.

Para Mauricio, faltam aos brasileiros informações para que consigam entender melhor alguns pontos sobre como administrar seus ganhos. “O principal deles é: não gaste mais do que recebe. Tudo isso precisa ser passado de forma simples – e não na linguagem de mercado. Por isso é tão importante que esses conhecimentos comecem a ser trabalhados junto às crianças, por família e escola, a partir de estímulos lúdicos”, acrescenta.

O pai da Turma da Mônica destaca que os pais devem sempre conversar com os filhos sobre os “nãos” que eles receberão pela vida. “Isso deve começar na infância quando pedem algum brinquedo caro, por exemplo. Saber mostrar para eles que precisam poupar para poder comprar algo mais dispendioso, mostrar que o dinheiro vem do trabalho e, por isso, tem que ser valorizado (e não gasto com bobagens), ser criterioso ao comprar um produto fazendo pesquisa de onde tem a melhor oferta, e assim por diante. Crianças e jovens precisam saber desde cedo como resolverem problemas que seus pais já enfrentam e que eles enfrentarão por toda a vida. Os quadrinhos e as animações que desenvolvemos sobre o tema ajudam para que essas informações cheguem de forma correta e direta para todos. Assim, as crianças têm acesso à informação de maneira lúdica e prazerosa, diferente da obrigação de decorar um conteúdo, normalmente estranho à sua realidade e ao seu vocabulário”, enfatiza.