Líder nacional no segmento pós-patente de defensivos agrícolas, a Rotam do Brasil recebeu, no último dia 13 de março em Campinas, o Diretor Executivo da empresa, James Bristow, para firmar liderança no mercado e anunciar novos investimentos na região de Campinas.

O encontro aconteceu no Vitória Hotel, com a presença da imprensa local e foi iniciado pelo presidente da Rotam no Brasil, Antonio Carlos Damaceno. Na sequência, um vídeo institucional da Rotam foi apresentado, seguido pela explanação de James Bristow sobre a empresa e sua origem. 
Antonio Carlos Damaceno durante encontro da Rotam
A Rotam possui sede corporativa em Hong Kong e fábricas na China, além de escritórios de negócios espalhados por 56 países. A filial brasileira – que está sediada em Campinas – comemora 10 anos de atividades, alcançando a marca de 47 registros de produtos do segmento, uma estação experimental própria no município de Artur Nogueira e mais de R$ 33 milhões investidos em pesquisas, testes e registros no país. A estação ocupa uma área de 15 hectares.

Além do Brasil, os Estados Unidos, a Europa e a China estão entre as regiões que mais recebem investimentos por parte da empresa.

Presente no mercado mundial há mais de 60 anos, a Rotam é uma empresa de capital aberto focada em pesquisa, melhoria e desenvolvimento de defensivos agrícolas, baseada no conceito de pós-patente, ou seja, investindo em tecnologia e estudos de eficácia e de resíduos para registro de patentes expiradas, criando – em cerca de três anos – novos produtos melhorados. 

Bertrand Desbrosses – Gerente Global de Novos Produtos – e James Bristow durante o evento
Pesquisas de mercado apontam para o crescimento do segmento pós-patente, que em 2010 já respondia a 50% do mercado de fabricação e venda de defensivos agrícolas, enquanto os produtos patenteados e os produtos genéricos se dividiam entre os 50% restantes. 
De acordo com o Antonio Carlos Damaceno, a Rotam é uma das empresas do segmento que mais investe em tecnologia no mundo, por meio de uma consistente equipe de cientistas e pesquisadores pós-graduados em ciências da agricultura, química e engenharia de síntese. “Investimos na melhoria dos produtos com patente expirada. Trabalhamos somente com moléculas que podem ser melhoradas, purificadas, concentradas e que tenham longevidade no mercado. Investimos, para isso, em engenharia de síntese e produção, gerando nossos próprios dados toxicológicos em fábricas próprias, o que garante a qualidade dos nossos produtos”, explica Damaceno. 
James Bristow
James Bristow mencionou a proporção dos investimentos feitos pela Rotam em pesquisas. “A Rotam investe 9% das vendas em pesquisas e desenvolvimento, enquanto que as companhias neste ramo investem de 2 a 3%”, disse. 
De acordo com o presidente da filial brasileira, o Brasil e os países europeus são os que possuem a legislação mais rígida para registros de defensivos agrícolas no mundo. Aqui, as empresas são regulamentadas tanto pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), quanto pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anisa) e pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). 
Damaceno e Bristow

James Bristow comentou a amplitude dos investimentos realizados no Brasil e na Europa. “A Rotam tem crescido muito nos países do Cone Sul. Melhorar – e não copiar – é o nosso objetivo, a fim de desenvolver melhores soluções através da nossa pesquisa in-house e desenvolvimento. Isso vai proporcionar aos agricultores maior eficácia, melhores rendimentos e opções de manejo”, descreveu o Diretor Executivo. “Já construímos boas parcerias com os principais distribuidores nacionais e regionais e estamos focados em abrir o mercado e expandir nossos negócios”, disse. 
Bristow ainda comentou a multi-nacionalidade da liderança da Rotam, que possui um gerenciamento de origem bem variada. “Quando perguntam a nacionalidade da Rotam, respondo que exitem várias. Os líderes da empresa vêm do Canadá, Estados Unidos, Reino Unido, China, França, Austrália e Hong Kong”, disse. 

Damaceno e Bristow ao lado dos gerentes da empresa

Sobre a Rotam CropSciences 

A Rotam CropSciences é uma empresa canadense sediada na China, que vende produtos com marcas próprias em 56 países por meio de uma rede de parcerias estratégicas com distribuidores nacionais e regionais, apoiados por uma rede de dez escritórios corporativos. A empresa fornece uma base totalmente integrada de Pesquisa e Desenvolvimento, Registro, Produção, Marketing e Apoio Técnico. 
A Rotam CropSciences se beneficia de outras empresas do grupo que operam com embalagens especiais, surfactantes, equipamentos industriais e indústria farmacêutica. Com tecnologia e corpo técnico próprios,  conduz a pesquisa e o desenvolvimento em torno de todos os aspectos de uma substância ativa existente, iniciando um novo processo de geração de conhecimento, uma vez que a patente da molécula do produto expira, lançando com sucesso formulações inovadoras e aperfeiçoadas para culturas específicas. 
As sedes corporativas da Rotam CropSciences ficam no Canadá e em Hong Kong, que provém suporte executivo e financeiro. As fábricas de síntese, formulação e desenvolvimento de produtos estão na China, o que permite conectar locais competitivos de produção em termos de matérias-primas e infra-estrutura industrial com processos tecnológicos de última geração, que conferem altos índices de desempenho e atestam sua qualidade.

Fotos: Letícia Zuppi

Deixe uma resposta