A História da Eternidade, primeiro longa de ficção do pernambucano Camilo Cavalcante, foi o grande vencedor do 6º Paulínia Film Festival, encerrado no dia 27 de julho de 2014. O evento teve apresentação dos atores Caio Blat e Tainá Muller.

 
 

DSC01248
 
 

DSC01246
 
 

DSC01247
 
 

DSC01256
 
 

História da Eternidade levou os Troféus Menina de Ouro de Melhor Filme, Diretor (Cavalcante), Ator (Irandhir Santos) e Atriz (dividido entre Marcélia Cartaxo, Zezita Matos e Debora Ingrid).

 
 

DSC01284
 
 

DSC01274
 
 

DSC01276
 
 

DSC01278
 
 

DSC01289
 
 

O longa contra três histórias de amor e desejo num pequeno vilarejo do sertão nordestino, que revolucionam a paisagem afetiva de seus moradores. Numa delas, um artista (Irandhir) ajuda a sobrinha (Ingrid) a ver o mar pela primeira vez. Em outra, uma viúva (Cartaxo) começa a abrir seu coração para o cego do vilarejo. Na terceira, uma avó (Zezita) recebe a visita do neto que regressou de São Paulo, fugindo de um passado turbulento.

Em seis edições do festival, é a terceira vez que Irandhir (Tropa de Elite 2, a novela Meu Pedacinho de Chão) vence a Menina de Ouro de Melhor Ator. Em 2009, ele venceu pelo filme Olhos Azuis, de José Joffily, e em 2011 por Febre do Rato, de Cláudio Assis.

 
 

DSC01252
 
 

DSC01218
 
 

DSC01224
 
 

Casa Grande, primeiro longa de ficção de Fellipe Barbosa, também ficou com quatro prêmios: o Prêmio Especial do Júri, Ator Coadjuvante (Marcello Novaes), Atriz Coadjuvante (Clarissa Pinheiro) e Roteiro (Fellipe e Karen Sztajnberg). O filme conta a história de Jean, adolescente de 17 anos de classe alta no Rio de Janeiro que faz suas primeiras descobertas afetivas e sexuais, enquanto toma consciência das divisões de classe e de raça ao seu redor.

 
 

DSC01262
 
 

DSC01273
 
 

Boa Sorte, de Carolina Jabor, história da relação entre um adolescente de 17 anos e uma moça com problemas psiquiátricos (Deborah Secco) ficou com o Prêmio do Público e Direção de Arte (Claudio Amaral Peixoto). Sangue Azul, de Lírio Ferreira, venceu os Troféus de Melhor Fotografia (Mauro Pinheiro Jr) e Figurino (Juliana Prysthon).

 
 

DSC01232
 
 

DSC01245
 
 

DSC01257
 
 

Também foram premiados o musical Sinfonia da Necrópole (Melhor Trilha Sonora), o documentário Aprendi a Jogar com Você (Montagem) e o docudrama Castanha (Som).

Entre os curtas-metragens, O Clube, de Allan Ribeiro, sobre um antigo clube de drag queens no Rio, foi o grande vencedor com quatro prêmios: Troféu Menina de Ouro de Melhor Filme, Direção, Prêmio do Público e da Crítica (Júri Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema). O Bom Comportamento, de Eva Randolph levou o prêmio especial do júri e Edifício Tatuapé Mahal, de Carolina Markowicz e Fernanda Salloun, o de melhor roteiro.

 
 

DSC01228
 
 

DSC01235
 
 

DSC01270
 
 

Ao longo de cinco dias de sessões gratuitas e abertas ao público, o Festival recebeu um total de 24 mil espectadores. Na cerimônia de encerramento, o prefeito de Paulínia, Edson Moura Junior, a secretaria de Cultura, Mônica Trigo e o jornalsita Artur Xexéo – entre outros membros do juri – também subiram ao palco para entregar alguns dos prêmios.

 
 

DSC01279
 
 

DSC01283
 
 

DSC01267
 
 

DSC01266
 
 

DSC01239
 
 

DSC01265
 
 

DSC01244
 
 

Lista completa da premiação:
 
 

Filmes de longa-metragem
 
 

Melhor Filme: R$ 300.000: A HISTÓRIA DA ETERNIDADE, de Camilo Cavalcante
 
Melhor Direção: R$ 50.000: CAMILO CAVALCANTE, por A História da Eternidade
 
 

DSC01280
 
 

DSC01222
 
 

Melhor Ator: R$ 30.000: IRANDHIR SANTOS, por A História da Eternidade
 
Melhor Atriz: R$ 30.000: MARCÉLIA CARTAXO, ZEZITA MATOS E DEBORA INGRID, por A História da Eternidade
 
 

DSC01277
 
 

Melhor Ator coadjuvante: R$ 15.000: MARCELLO NOVAES, por Casa Grande
 
Melhor Atriz coadjuvante: R$ 15.000: CLARISSA PINHEIRO, por Casa Grande
 
Melhor Roteiro: R$ 15.000: FELLIPE BARBOSA E KAREN SZTAJNBERG, por Casa Grande
 
Melhor Fotografia: R$ 15.000: MAURO PINHEIRO JÚNIOR, por Sangue Azul
 
 

DSC01259
 
 

Melhor Montagem: R$ 15.000: EVA RANDOLPH, por Aprendi a Jogar com Você
 
Melhor Som: R$ 15.000: THIAGO BELLO por Castanha
 
 

DSC01301
 
 

Melhor Direção de arte: R$ 15.000: CLAUDIO AMARAL PEIXOTO, por Boa Sorte
 
Melhor Trilha Sonora: R$ 15.000: JULIANA ROJAS, MARCO DUTRA E RAMIRO MURILO, por Sinfonia da Necropole
 
 

DSC01249
 
 

Melhor Figurino : R$ 15.000: JULIANA PRYSTHON, por Sangue Azul
 
Especial Júri: R$ 100.000: FELLIPE BARBOSA, por Casa Grande
 
 

DSC01282
 
 

DSC01260
 
 
 

Filmes de curta-metragem
 
 

Melhor filme: R$ 30.000: O CLUBE, de Allan Ribeiro
 
 

DSC01240
 
 

Melhor Direção: R$ 20.000: ALLAN RIBEIRO, por O Clube
 
 

DSC01238
 
 

Melhor Roteiro: R$ 15.000: CAROLINA MARKOWICZ E FERNANDA SALLOUM, por Edifício Tatuapé Mahal
 
Especial Júri: R$ 20.000: O BOM COMPORTAMENTO, de Eva Randolph
 
 

DSC01250
 
 

Prêmio do Público
 
 

Melhor longa-metragem: R$ 50.000: BOA SORTE, de Carolina Jabor
 
Melhor curta-metragem : R$ 20.000: O CLUBE, de Allan Ribeiro
 
 

DSC01229
 
 

DSC01225
 
 

JÚRI ABRACCINE – Associação Brasileira de Críticos de Cinema
 

Melhor longa-metragem: A HISTÓRIA DA ETERNIDADE, de Camilo Cavalcante
 

Melhor curta-metragem: O CLUBE, de Allan Ribeiro
 
 

DSC01237
 
 

DSC01288
 
 

DSC01286
 
 

Homenagem a Cacá Diegues
 
 

Diretor de grandes clássicos do cinema brasileiro, como “Bye Bye Brazil”, “Xica da Silva” e “Tieta do Agreste” – e produtor do longa “5x Favela – Agora por Nós Mesmos”, vencedor do 3º Paulínia Film Festival –, o diretor Cacá Diegues recebeu uma linda homenagem no encerramento do festival: o Troféu Menina de Ouro das mãos do crítico e curador Rubens Ewald Filho.

“É muito bom receber esta homenagem no ano que marca a Retomada do Polo Cinematográfico na cidade. Agradeço ao Prefeito Edson Moura pela Retomada deste Polo. Este festival demonstrou a força, a qualidade e a diversidade do cinema nacional”, declarou Cacá no palco do Theatro Municipal Paulo Gracindo.

 
 

DSC01293
 
 

“Essa sala sempre lotada prova que o público voltou a se interessar pelo cinema nacional. E este ano tivemos uma forte leva de primeiros filmes de jovens cineastas, o que comprova a nossa renovação”, disse, antes de arrancar risos da plateia: “Quando a gente recebe um prêmio desses, é porque está muito velho. Mas vou decepcionar todo esse pessoal, porque não vou pedir aposentadoria tão cedo. O que me alimenta sempre é meu grande amor pelo cinema”, declarou o cineasta.

 
 

DSC01295
 
 

DSC01263
 
 

DSC01294
 
 

DSC01303
 
 
 
Fotos: Em Destaque Na Cidade