Letícia Zuppi

Os atores da peça Equus participaram, no último dia 29/02, de uma entrevista coletiva sobre o espetáculo no Teatro Amil, em Campinas.

A peça será encenada de 03/03 a 01/04 no teatro e traz Leonardo Miggiorin e Elias Andreato como protagonistas. Compõem ainda o elenco Bruna Thedy (participou do seriado Sandy & Junior, na Globo),  Patricia Gasppar (interpretou Caipora na série Castelo Rá-Tim-Bum), Jorge Emil (premiado por sua interpretação em Ricardo III), Mara Carvalho (atriz de O Rei do Gado e Corpo Dourado), Léo Steinbruch (participou da montagem de Equus, em 1997), Gustavo Malheiros (destacou-se como bailarino em “A Dança dos Famosos”, do Faustão) e Fernanda Cunha (atriz de 39 Degraus).
A montagem teatral tem a direção de Alexandre Reinecke, que é campineiro. O texto do espetáculo – que venceu o prêmio Tony – é mudialmente conhecido e envolve mistério, indagações e sedução.
Os espectadores serão levados a questionar temas como “normalidade” e “paixão” ao assistirem ao espetáculo em que se procura compreender por que um jovem chamado Alan Strang – filho de um comunista e uma religiosa – cometeu um crime contra cavalos. O psiquiatra Martin Dysart é o responsável por desvendar este mistério, ao mesmo tempo em que mergulha em seu próprio interior.
Segundo o diretor do espetáculo, Equus terá grande aceitação do público pois a obra não se manteve datada. “Esta montagem tem um tratamento mais contemporâneo. A relação e o envolvimento do público é diferente, assim como também é distinta a relação com a Psicanálise hoje em dia”, disse. Para ele, a obra tem diversos pontos positivos. “A história é forte, bonita e contundente”, explica.

Para o protagonista, o ator Leonardo Miggiorin – cujo último trabalho na TV foi como Ronie, na novela Insensato Coração – o processo de composição do personagem não foi difícil, sendo ainda facilitado pelos conhecimentos que o artista vem adquirindo como aluno do curso de Psicologia. “O processo foi tranquilo, harmonioso. Trata-se de um personagem complexo, que exige muito, porém estou muito feliz. Eu já havia estudado este personagem na escola, em Curitiba e voltei para a faculdade de Psicologia. Ambos me auxiliaram neste desafio teatral”, disse. Segundo Leonardo, seu personagem é instigante e tem uma relação peculiar com os cavalos. “Há uma faísca de loucura, de surto, neste personagem. A relação com os cavalos é espiritual. O personagem enxerga o sagrado, o divino, nesta relação”, explica.

A presença dos cavalos na história foi resolvida pelo diretor do espetáculo com simplicidade, fugindo de possíveis representações óbvias para o animal. “Tratamos esta questão da maneira mais simples possível, buscando informações presentes na obra”, disse.
O ator Léo Steinbruch, que também é produtor da peça, comentou sobre a expectativa de estrear um espetáculo nacionalmente em Campinas. “Gostamos de estrear em Campinas. A cidade é ávida por teatro”, disse. Pelo texto de Equus, Steinbruch diz nutrir uma afeição especial, que levará o público a refletir ao final da montagem. “Sou apaixonado pelo texto da peça. O espectador chega ao fim pensando que poderia ter tido a mesma atitude que o personagem principal teve”, comenta. O produtor falou ainda sobre as dificuldades em montar um espetáculo como Equus. “Este não foi um espetáculo fácil para conseguir patrocínios. Trata-se uma montagem cara, de uma superprodução para o teatro”, completou, fazendo referência também ao extenso número de atores em cena – nove, no total.

O veterano Elias Andreato – que soma mais de 30 trabalhos como ator e diretor teatral, seis novelas e dez filmes – elogiou a boa relação entre os atores do elenco e a temática do espetáculo. “A peça fala de paixão, de amor. No encontro de meu personagem (o psiquiatra Martin Dysart) com o menino Alan Strang, (personagem de Leonardo Miggiorin), é que ele descobre a ausência da paixão por sua profissão e pelo ser amado”, disse. E completou: “O espectador concluirá ao final o que ele próprio tem de cruel, animal e de ausência de paixão nele”. Segundo Andreato, o espetáculo promete agradar a jovens e adultos. “A família se identificará com o espectáculo”, disse.
A atriz Mara Carvalho – que participou no cinema dos filmes Bossa Nova e Rinha – comentou a essência da obra. “A história é clara e ao mesmo tempo complexa e surpreendente. Há muitos pontos com os quais se identificar”, disse.
Por Equus ter cenas de nudez, alguns questionamentos foram feitos ao elenco a este respeito. “O nu é uma necessidade natural da peça”, explicou o diretor. Léo Steinbruch completou: “As cenas de nu são lindíssimas, com um lado muito sensual”.
O diretor Alexandre Reinecke
Leonardo Miggiorin: composição do personagem foi harmoniosa
Mara Carvalho, Patricia Gaspar e Bruna Thedy

Para Elias Andreato, espetáculo causará identificação à famílias
O ator e produtor Léo Steinbruch

Elenco de Equus posa para fotos

A atriz Bruna Thedy

Bruna Thedy, Leonardo Miggiorin e Elias Andreato

Jorge Emil, Gustavo Malheiros e Fernanda Cunha
Atores divertem-se durante coletiva

 Leonardo Miggiorin já acumula mais de 40 peças no currículo
Bruna Thedy também participou da montagem “Enquanto Isso…”, em Campinas
A atriz Mara Carvalho
Fotos: Letícia Zuppi

Deixe uma resposta