Por Letícia Zuppi
O Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) – sede Campinas – promoveu, no último dia 04/12, uma coletiva de imprensa para apresentar um balanço do ano de 2012 e projeções para o ano de 2013. 

Estiveram presentes no evento José Nunes Filho (Diretor Titular do Ciesp Campinas), Rodrigo Sabbatini (Coordenador do curso de Economia da Facamp) e Anselmo Riso (Diretor de Comunicação Exterior do Ciesp Campinas).
O último relatório do ano da Sondagem Industrial Facamp/Ciesp apresenta resultados de uma enquete, realizada em setembro e outubro deste ano, com 35 associados do Ciesp Campinas, a respeito dos investimentos realizados em 2012 e dos previstos para 2013. 
Em termos absolutos, os empresários consultados investiram R$ 93,2 milhões em 2012 e pretendem investir R$ 97,7 milhões em 2013, crescimento de cerca de 5%. A pesquisa registrou que, em outubro de 2012, 62,5% dos empresários consultados irão manter ou ampliar os investimentos planejados para os próximos 12 meses. 
Em relação ao setor de atuação de suas empresas, nota-se que os empresários estão menos pessimistas para 2013. “As sondagens dos últimos meses apresentaram resultados melhores do que os de dezembro de 2011. Os empresários associados estão mais otimistas, porém cautelosos para 2013”, explicou Rodrigo.

O nível de emprego industrial na Diretoria Regional do Ciesp em Campinas (região composta por 19 municípios) apresentou resultado negativo no mês de outubro/2012. A variação ficou em -0,33%, o que significou uma queda de aproximadamente 600 postos de trabalho na região.  

Em outubro, 20% dos importadores da região importaram máquinas e equipamentos (importação diretamente relacionada aos investimentos). Riso colocou que as compras de máquinas realizadas no país correspondem a uma parcela bastante alta. “Hoje, no Brasil, 60% do maquinário adquirido pelas indústrias é importado”, lembrou. 

Sobre as exportações, Rodrigo fez colocações e projeções para 2013. “A economia da região é deficitária em termos do comércio exterior. Não cresceremos do ponto de vista das exportações”, disse. 

Os investimentos no aeroporto de Viracopos e em mobilidade urbana também foram lembrados durante a coletiva. “Os investimentos neste aeroporto são uma forma de alavancar a economia na região. Também há a esperança no trem metropolitano para São Paulo e na melhoria da mobilidade urbana”, disse Nunes. 
 Nunes, Sabbatini e Riso apontaram ainda dados sobre o crescimento brasileiro. “O Brasil está crescendo em torno de 0,8 a 0,9%, quando a perspectiva mundial é 2,3%. Estamos crescendo menos do que o México”, colocou Nunes. No entanto, lembrou ele, as empresas devem continuar fazendo a sua parte. “As indústrias devem continuar investindo em inovação e produtividade”, disse. 
Nunes também lembrou sobre os impostos pagos pelos brasileiros e sua falta de retorno. “Pagamos impostos altíssimos e temos o pior retorno de imposto do mundo. Isso deve-se a vários fatores e um deles é a corrupção, a níveis municipal, estadual e federal”, concluiu. 
Com informações da Assessoria de Imprensa

Fotos: Letícia Zuppi

Deixe uma resposta