O locutor e apresentador Cid Moreira e sua esposa, a jornalista Fátima Sampaio Moreira, participaram de um bate-papo no Espaço Iguatemi Campinas no último dia 16/04. O casal foi convidado a divulgar o livro “Boa Noite – Cid Moreira, a grande voz da comunicação do Brasil”, (biografia de Cid escrita por Fátima) e a falar um pouco sobre carreira e vida pessoal.

A apresentadora Patrícia Paes, do programa “Band Revista”, da Band Campinas, intermediou a conversa, que também contou com a participação do público, fazendo várias perguntas à dupla.

A apresentadora Patrícia Paes intermediou o bate-papo

Nos dois anos dedicados à escrever “Boa Noite”, Fátima Sampaio realizou pesquisas em arquivos de rádios, jornais, revistas e emissoras de TV, além de consultar o arquivo pessoal de Cid. A jornalista fez também longas entrevistas com o marido e conversou com seus amigos mais antigos para obter informações sobre a sua história. “Foi muito interessante escrever este livro. Eu tinha o protagonista da minha obra ali ao meu lado o tempo todo. Qualquer dúvida que eu tinha, sobre alguma passagem de sua vida, eu o questionava. Creio que os leitores perceberão que no fundo Cid é um homem comum e possível” , colocou.

Fátima Sampaio: “Cid é um homem comum e possível”


A ideia de desenvolver uma biografia sobre o locutor já havia partido de alguns escritores, mas Cid Moreira elegeu Fátima – sua companheira há 10 anos – para esta tarefa. “Pensei que se alguém deveria escrever a minha biografia, este alguém deveria ser a Fátima”, contou.

“Boa Noite” transcorre sobre a carreira do locutor, desde seu início – na cidade de Taubaté-SP, onde nasceu – relebrando ainda seus momentos mais marcantes, como sua passagem pelo “Jornal Nacional” – onde permaneceu por 27 anos – e pelo “Fantástico”. Neste último programa, Cid relembra a narração do quadro “Mister M”. “Foi uma grande diversão ser locutor deste quadro. Pude matar a curiosidade que tinha sobre mágicas desde garoto, como muitas pessoas também tinham. No fim é tudo muito simples, utiliza-se jogo de espelhos e outras artimanhas, mas é tudo muito interessante”, disse Cid.

Cid Moreira: “Foi uma grande diversão ser locutor do ‘Mister M’. Pude matar a curiosidade que tinha sobre mágicas desde garoto”

Ao ser questionado sobre seu início na televisão, Cid Moreira comentou as dificuldades técnicas e o sufuco dos iniciantes no “Jornal Nacional”, que foi ar pela primeira vez em 1969. “Naquela época não existia um estúdio moderno e com o aparato tecnológico de efeitos como existe hoje. O ‘JN’ ao fundo não era uma imagem digital, mas sim uma plaquinha pendurada. A bancada também era improvisada. Uma vez caiu e os scripts voaram para todos os lados”, lembrou.

No livro “Boa Noite”, que conta com 40 páginas de fotos, Fátima Sampaio dedicou um capítulo para o “Jornal Nacional”. “A obra conta com declarações de Fátima Bernardes, William Bonner, Léo Batista e Sérgio Chapelin, entre outros”, explicou a autora.

Fátima Sampaio: “Fátima Bernardes e William Bonner deram declarações para o livro”

Cid Moreira lembrou com carinho de seu último dia no telejornal. “Quando aquela edição do Jornal Nacional acabou, todos se reuniram nos bastidores para me homenagear. Um de meus assessores era o mais emocionado. Ele me presenteou com uma raquete de Tênis e tremia muito. Sua emoção me comoveu”, disse. Porém Cid não vê o fim desta fase de sua vida com tristeza. “Tudo na vida tem um começo, meio e fim. Isso é natural”, colocou.

“Tudo na vida tem um começo, meio e fim”, disse Cid sobre seu último dia no “JN”


Além das mudanças tecnológicas que o passar dos anos trouxe ao Jornalismo, Cid Moreira considera que o imediatismo da notícia, possível hoje, seja um fato a ser ressaltado. “A instantaneidade da notícia possibilitada pela tecnologia atualmente é maravilhosa”, colocou.

Fora da grande mídia, Cid Moreira dedicou-se recentemente à narração da Bíblia. De família católica, o locutor e sua esposa resgataram ainda mais a sua fé com este trabalho. “Hoje, se eu pudesse passar uma mensagem, como as notícias que eu dava no ‘Jornal Nacional’, seria a de que todos aceitem Jesus do fundo do coração”, concluiu.

A narração da Bíblia resgatou a fé de Cid e Fátima

Ao final do bate-papo, Fátima Sampaio e Cid Moreira autografaram o livro “Boa Noite” e posaram para fotos.

Cid Moreira posa para fotos

Fátima Sampaio autografa seu livro no Espaço Iguatemi

Fotos: Letícia Zuppi

Deixe uma resposta